Home / Sobre a Confraria

Sobre a Confraria

A Ordem Soberana dos Cavaleiros de Sto. Urbano e S. Vicente – Confraria dos Degustadores do Vinho do Dão foi criada em 1995 por um grupo de entusiastas, sob o alto patrocínio de Sua Alteza o Infante Dom Miguel de Bragança, desde sempre seu Grão-Mestre. Inclui descendentes directos de fundadores da Região Demarcada e admite como confrades aqueles que subscrevam os princípios fundamentais: Independência do poder político, económico ou outro; defesa da cultura, do consumo moderado e exigente de vinho, da cordialidade, da boa-educação e do bom humor.   A Ordem é benévola, não tem bens materiais e não pode acumular riqueza.  Apesar da sua intransigente independência, a Ordem recebe regularmente autoridades, membros do governo e da hierarquia militar e religiosa, e colabora com outras entidades, organizações e autarquias, na medida em que tal seja útil para a divulgação do Vinho do Dão. Convida com frequência membros do Corpo Diplomático, por entender serem os melhores divulgadores do vinho português junto dos seus povos.

É uma associação de carácter cultural, gastronómico, técnico-enológica, que se pretende de utilidade pública e que tem como finalidade promover, divulgar e exaltar o consumo racional e equilibrado do vinho, designadamente do da região do Dão.

Define-se nos seguintes termos:

Ordem: Por ter uma estrutura, baseada nos méritos, aptidões e serviços prestados em prol dos objectivos estatutários, como factor definindo o lugar hierárquico de cada membro.

Soberana: Por recusar, em matéria de vinhos, qualquer outra autoridade, influência ou hierarquia que não a imanada da Ordem que é, especificamente, independente do poder político, económico ou qualquer outro.

Dos Cavaleiros: Por adoptar como sua conduta-guia os preceitos das antigas Ordens de Cavalaria, designadamente no que se refere à Honra, Isenção, Lealdade, Justiça e Verdade, bem assim como de absoluto desinteresse por quaisquer vantagens materiais ou sociais que a condição de membro puder gerar. Na mesma linha de princípios, a Ordem acolherá fraternalmente todas as organizações com finalidade semelhante ou complementar.

De Sto. Urbano e S. Vicente: Por serem estes os patronos dos Vinhateiros, dentro da antiquíssima tradição religiosa portuguesa.”